segunda-feira, 29 de junho de 2015

Um nó no lençol



   "Numa reunião de pais numa escola da periferia, a diretora realçava o apoio que os pais devem dar aos filhos e pedia-lhes que estivessem presentes durante o maior período de tempo possível… Considerava que, embora a maioria dos pais e mães daquela comunidade trabalhassem fora, deviam encontrar tempo para se dedicarem e compreenderem os filhos.
   A diretora ficou muito surpreendida quando um pai se levantou e explicou, de forma humilde, que não tinha tempo de falar nem de ver o filho durante a semana pois, quando ele saía para trabalhar, o filho ainda estava a dormir e, quando voltava do trabalho, o garoto já não estava acordado.
   Explicou, ainda, que tinha de trabalhar assim para sustentar a família, mas que ficava angustiado por não ter tempo para o filho e que tentava redimir-se indo beijá-lo todas as noites quando chegava a casa. E, para que o filho soubesse da sua presença, dava um nó na ponta do lençol que o cobria. Fazia isto religiosamente todas as noites quando o beijava. Quando o filho acordava e via o nó, sabia assim que o pai tinha lá estado e o tinha beijado.
   A diretora emocionou-se com a história e ficou surpreendida quando constatou que o filho deste pai era um dos melhores alunos da escola!".


Essa pequena história me fez refletir algumas coisas que eu gostaria de compartilhar com vocês!

1- O pai, mesmo "sem tempo" estava presente na reunião escolar de seu filho.
A vida atual parece impossível se distanciar da correria. O sustento da família, o sucesso profissional, a busca incansável por uma vida aparentemente bem-sucedida. Tudo isso acaba nos fazendo colocar muitas prioridades na caixinha do depois. Precisamos dar uma pausa e refazer a nossa lista de prioridades. A vida de nossos filhos reflete o que somos para eles. E se você deseja que seu filho seja uma benção, é necessário nos transformar em um espelho presente.

2- O pai lutava para cumprir o seu papel no lar.
Seja o pai, como sacerdote e provedor do lar, ou a mãe como governanta e auxiliadora, ambos precisam entrar debaixo da ordem de Deus e cumprir, com toda dedicação, a sua missão nesse primeiro ministério confiado a vocês: sua família. Só assim, podemos dizer que temos uma vida bem-sucedida! Porque quando estamos debaixo da ordem, tudo flui, tudo prospera, tudo suporta, tudo alcança!

3- O filho aprendeu valores e princípios.
Podemos perceber que durante o fim de semana aquele pai estava presente na vida de seu filho. E a sua mãe também ganha o mérito por isso. Os pais são responsáveis por educar os filhos com valores e princípios. Não era por acaso que o filho era um dos melhores alunos da escola. Os filhos refletem a criação que tiveram.

Quero concluir dizendo, por experiência, que a sua vida é bem-sucedida quando a sua família vive debaixo da ordem de Deus. Vale a pena, parar um minuto, pensam no que podemos melhorar como família, em pedir perdão se preciso for, e se colocar a disposição da transformação feita por Deus. Vale a pena se esforçar para ser um espelho para a próxima geração. Vale a pena abrir mão de coisas materiais, para sentir o seu lar como um pedacinho do céu.

Beijo grande e uma semana abençoada!
Renata Moura



Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Para tudo se tem jeito nessa vida neh, e ele achou o jeitinho dele e deu certo..Amei o post

    ResponderExcluir
  2. Verdade Priscila!! Basta a gente colocar como prioridade ;) Beijo!!!

    ResponderExcluir