sexta-feira, 19 de junho de 2015

Relato - Um dos desafios de ser mãe


Olá mamães virtuosas!
Bom, o que quero compartilhar com vocês é um assunto que tenho vivenciado nesses dias. Espero poder ajudar nem que seja uma mamãe virtuosa.

Não sei se sabem, mais estou cursando o 7º período de Pedagogia, minha profissão, é o que eu sei fazer, e amo trabalhar nessa área. De dois meses para cá, minha vida deu uma vira volta incrível em relação ao que eu havia planejado até então. Confesso que planejei estar cuidando do meu filho Matheus de 11 meses, pelo menos até os 3 anos, assim como fiz com meu filho Davi, hoje com 5 anos. Mas não é o que está acontecendo. Trabalho por opção, e pela oportunidade maravilhosa que recebi, e também com o consentimento do meu esposo. Apesar de trabalhar somente de 12:30 da tarde às 17:30 da tarde, como professora da Educação Infantil, e meus filhos estudarem na escola em que trabalho, a adaptação do meu caçula não está sendo fácil. Não quero falar como pedagoga/professora que sou, mas sim como mãe. Entendo e sei todo o processo de adaptação que uma criança passa nos primeiros dias da escolinha. Algumas crianças por menos tempo, outros por longos dias, e até meses.

E esse está sendo meu caso, longos dias.... Matheus chora o dia todo, e o pior, estou na sala ao lado, escutando, e me segurando para não ir “resolver” o “problema”. Confio na professora que cuida dele plenamente, ela faz tudo que está ao alcance, muito carinhosa, cuidadosa, ama o que faz. Mas só Deus sabe como meu coração de mãe fica ao ouvi-lo chorar. Engraçado como o nosso lado materno funciona, como disse anteriormente, aconselho mães dos meus alunos em relação à adaptação, e em 95% dos casos as crianças assim que suas mães vão embora, param de chorar e ficam bem o dia todo, até o momento da chegada das mesmas, mas eu mesmo sabendo disso, quero acolher meu filho, pegar, e parar com todo o processo.

Esses dias ele deu febre emocional, 38ºC. Pensei em desistir, parar com tudo, e descer desse parque de “diversões” que virou minha vida, estou em uma verdadeira roda gigante.
São desafios que nós como mães, teremos que enfrentar um dia, deixar nossos filhos criarem autonomia, independência, deixar voar, o que cabe a nós então? Educar, orientar, observar, ajudar...

Não tem sido fácil para mim, sou do tipo mãe superprotetora, mas sei que vou vencer mais essa etapa, e meu pequeno Matheus também. Por trabalhar na sala ao lado da dele, confesso também que de vez enquanto dou uma espiada, sem que ele perceba porque aí, tudo pode piorar, rs.

Talvez você tenha a necessidade de trabalhar fora de casa, e deixar seu (ua) filho (a) em uma escolinha ou creche, e esteja aí passando pela mesma preocupação que eu. Te digo que tudo vai passar, e falo isso por experiência de profissão, ele vai se adaptar melhor que você a falta dele, e é bem assim mesmo, e um dia, não vai querer nem ir embora para casa quando o for buscar. Digo isso a mim mesma todos os dias, rs.

Oro para que Deus nos ajude, nos dê sabedoria para administrar tudo que Ele confia a nós, principalmente nossos filhos e família, esse sim é o bem mais precioso que temos. Peço também que coloque em nossos caminhos pessoas que realmente possam amar nossos filhos, assim ficaremos um pouco menos inseguras.


Fiquem com Deus e até a próxima!
Juliana Saviano

Comentários
1 Comentários

Um comentário:


  1. Muito legal da sua parte,em utilizar o blog para transmitir coisas boas,experiencias vividas.
    Da uma passadinha na minha pagina,assim que puder.te espero lá

    http://anunciosparceriasdivulgacao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir