quinta-feira, 16 de abril de 2015

Por Dentro de Tudo

Autonomia: meu filho cresceu?



Bom dia, Virtuosas! Qual a idade de seu filho? Ou melhor: qual a idade que sua mente acha que ele tem? Mães tem a tendência de acreditar que o filho não cresce, que ele sempre irá precisar delas para tudo, mas a realidade é que eles crescem e irão sim precisar das mães, mas não como a elas pensam, precisarão de conselhos, consolo, abraço, carinho e amor e não que façam as coisas para eles.

Desde que nasce, a criança tem a curiosidade de descobrir tudo a sua volta, ele começa observando e a medida que sua coordenação motora vai se definindo, ele começa a imitar as pessoas a sua volta, para então começar a explorar o mundo!

E é nessa exploração que muitas vezes, por medo de se machucarem ou por mimo, as mães “cortam” esse direito da criança. Ao tentar subir um degrau, descer uma rampa, pular um brinquedo, a mãe deve se preocupar apenas com a segurança, estando por perto para qualquer eventualidade, mas não deve retirar esse momento da dele, pois esta aprendendo seus limites e necessita desses momentos de obstáculos e desafios.


Ao crescer, a criança percebe a proteção de seus pais e começa a abusar dessa proteção, não querendo guardar os próprios brinquedos, em não querer comer ou tomar banho sozinho, e é nesse momento em que a racionalidade dos pais precisam entrar em ação! Incentive seu filho sempre a realizar tarefas sozinho, elogie quando conseguir e se não conseguir não brigue, converse dizendo que ele é capaz, ajude na tarefa e fale que da próxima vez ele vai fazer sozinho de novo. Acredite: seu filho cresce e precisa adquirir autonomia, aprendendo a realizar tarefas e a sair de situações sozinho.

Ao engatinhar: coloque pequenos obstáculos a sua frente (almofadas, brinquedos) para que ele passe por cima ou de a volta, incentivando as funções cognitivas e motoras.

Ao andar: dificulte os obstáculos, agora para ele pular, passar por baixo, esconda brinquedos, se ele não conseguir, não desista e incentive ele, faça festa quando conseguir.

Pré escolar: não queira que ele já entre na escola alfabetizado! O que ele precisa é brincar, apresente à criança as letras e numerais de forma lúdica, nada forçado (isso é um erro da busca da autonomia).

Fase escolar: incentive o aprendizado na alfabetização, sempre dizendo que ele é capaz e de forma carinhosa demonstre que sempre estará lá para ele, transforme esses momentos em algo prazeroso para que a escola seja um pedaço de sua vida e não um pesadelo.



A autonomia é muito importante para o desenvolvimento intelectual e auto estima da criança. Através dela, a criança se entendendo como uma pessoa, construindo em sua cabecinha a independência de forma segura, sendo assim, um adulto seguro, feliz e autônomo, que é o que toda mãe espera de seu filho.

Texto escrito pela Pedagoga Priscila Vieira
para o Projeto Virtuosas (Direitos Reservados)
Comentários pelo Facebook
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário