quinta-feira, 15 de maio de 2014

De Mulher para Mulher

Bom dia Virtuosas!


Hoje começa o nosso novo quadro com o apoio das nossas abençoadas parceiras e psicólogas: Ada Melo e Sandra Weigmann. E o tema não poderia ser outro! Tem sido falado em roda de amigas, encontros de família e em todos os lugares onde se reúnem pessoas. "Alguém" sempre conhece "alguém" que tem ou já teve. Apresenta um quadro alarmante e é conhecida como o mal do século:


Depressão

A depressão é um distúrbio afetivo que acompanha a humanidade ao longo de sua história.



É uma doença, há uma série de evidências que mostram alterações químicas no cérebro do indivíduo deprimido, principalmente com relação aos neurotransmissores, substâncias que transmitem impulsos nervosos entre as células. Ao contrário do que normalmente se pensa, os fatores psicológicos e sociais, muitas vezes, são consequência, não causa da depressão.


estresse pode precipitar a depressão em pessoas com predisposição genética.


Aproximadamente uma em cada cinco apresenta o problema em algum momento da vida. Nas igrejas esse mal também tem encontrado lugar, na Bíblia lê-se casos como o de Ana (mãe de Samuel), muito atribulada e angustiada, não tinha forças para falar, não queria sair de casa, nada tinha importância. Ela foi abatendo-se até desenvolver depressão por origem emocional. (1 Samuel 1: 1-18).


Assim também há irmãs na igreja que não tem mais motivação, não tem mais vontade de fazer nada. Ela deveria receber ajuda, mas o que recebe muitas vezes é criticas e palavras que não contribuem para sua melhora.

Para ajudar a identificar a depressão segue os principais sintomas da depressão feminina:

  • Humor depressivo, desânimo, tristeza desproporcional às circunstâncias
  • Insônia ou hipersônia (dormir mais do que o habitual)
  • Aumento exagerado ou diminuição do apetite
  • Diminuição ou perda do interesse e prazer pelas coisas
  • Sentimentos e ideação de culpa exagerados ou irracionais
  • Fadiga ou sensação de perda de energia
  • Diminuição da capacidade de concentração
  • Diminuição da capacidade de tomar decisões
  • Agitação ou lentidão motora
  • Descrença em si mesma ou nas pessoas
  • Pessimista, só vê inadequação.
  • Não confia em ninguém
  • Pensamentos persecutórios
  • Baixa autoestima
  • Pensamentos, planos ou tentativa de suicídio.


Dicas de tratamento
Deve ser realizado a partir de dois procedimentos:
(1) Avaliação e diagnóstico por um profissional médico/psicólogo/psiquiatra, com o apoio dos familiares do paciente.
(2) Escolha do tratamento adequado a ser administrado, dependendo da gravidade da depressão, dos serviços disponíveis e da preferência do indivíduo. Os dois tratamentos eficazes são o medicamentoso e o da psicoterapia.

Os amigos e familiares podem ajudar!



Com incentivo à continuidade do tratamento e conversando bastante com a pessoa deprimida, ajudando a entender que este momento tão sofrido não é para sempre. É muito importante a ajuda de amigos e familiares porque há muito preconceito em relação aos transtornos mentais e a pessoa deprimida sente-se fracassada, como se tratasse de uma falha moral, de uma fraqueza de caráter, ou casos na igreja, que está fraca espiritualmente. É muito importante ajudar o deprimido a aceitar e encarar de uma forma realística a sua condição, evitando tomar decisões importantes.

A família e amigos devem evitar exigências de que a pessoa faça aquilo que no momento não é possível para ela. É importante estimular, mas não exigir. Devem ser evitadas frases como: você não tem nada, se quiser é capaz de trabalhar e estudar, ora mais, lê mais a Bíblia. Quem nunca teve uma depressão pode ter dificuldade de entender o profundo sofrimento de uma pessoa deprimida. Mas é possível buscar informações para ser um Agente de Esperança, acolher e estar junto, propor ações em conjunto, ajudar a enxergar a beleza e a graça que tem na vida. Enquadrar, rever projetos, situações de vida. 

Texto Escrito pela Psicóloga Sandra Weigmann para  o Projeto Virtuosas!
Direitos Reservados

Sandra Weigmann - Psicóloga
CRP/SC -1206487 CRP/SP - 000469-IS
Especialidade: Terapia Familiar Sistêmica e de Casal. Atendimento Individual, Casal, Família, Infantil, Adolescente, Apoio à Adoção e Psicopedagogia.

Site: www.espacobemviver.psc.br
Fanpage: https://www.facebook.com/pages/Espaço-Bem-Viver-São-Bento-do-Sul/155785454613472?fref=ts

Consultório de Psicologia: São Bento do Sul - SC
Contatos: 47 9742-6533
s.weigmann@yahoo.com.br
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Parabéns pela postagem. "Agente de Esperança", é o que a Igreja e sociedade precisa, uma palavra chave que podemos tirar desse texto é "acolhimento", tanto mulheres quanto homens, crianças ou adultos esperam em situações de sofrimento psíquico é serem acolhidas, não talvez compreendidas mas ouvidas. O texto ainda enfatiza a importância da intervenção profissional, e é momento de deixarmos o preconceito do lado de fora e somarmos forças em busca da estruturação do projeto de vida para todos os que sofrem.

    Deus abençoe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ir. Joacir! Realmente o que precisamos ser é acolhedores e incentivadores! Praticar o amor!

      Excluir